quarta-feira, 25 de março de 2009

Fotografia...

Espaço Kulungwana na Estação dos Caminhos de Ferro no dia 25/Marco, às 18.30.
Maputo.
Em 1983 a Imprensa Nacional - Casa da Moeda publicou Muitipi, Ilha de Moçambique, um livro de fotografias de Moira Forjaz com textos de Amélia Muge. Não me lembro de ter sido um sucesso na época nem conheço ecos na imprensa: na altura os meios da fotografia interessavam-se pelas actualidades dos grandes centros internacionais, e a autora era uma desconhecida, nascida no Zimbabwe a viver em Maputo. Guardei sempre entre os álbuns estimados o meu exemplar (um dos 5 000 que entretanto se tornaram objectos raros).
Algumas das fotografias da Ilha de Moçambique (Muitipi em língua macua) estão agora expostas em Maputo, na antiga e imponente Estação Ferroviária e mais precisamente no espaço Kulungwana - Associação para o Desenvolvimento Cultural. Moira Forjaz chamou à sua exposição (a 1ª desde há mais de 25 anos) Kukumbula 1976 - 1986, o que se traduz por memórias, e divide-a em três secções: "Gente" (retratos de conhecidos e desconhecidos), "Vai e Vem" (sobre as deslocações de mineiros moçambicanos para as minas da África do Sul, nas novas condições pós-independeência) e "My Ilha" (Muitipi). Dedicou-a a Ruth First, socióloga e activista, assassinada em 1982 pelos serviços secretos da África do Sul com uma carta armadilhada recebida na Universidade Eduardo Mondlane em Maputo, e autora de Black Gold: The Mozambican Miner, Proletarian and Peasant, publicado em 1983 com as fotografias de Moira Forjaz.
Com a devida vénia; www.alexandrepomar.typepad.com/

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial