sábado, 2 de maio de 2009

Morreu um grande poeta-jornalista-escritor-amigo

HeliodoroBaptista foi vítima de uma paragem cardíaca.
Heliodoro nasceu em Gonhame, Quelimane, Moçambique, onde reside na cidade da Beira.Publicou em 1987 Por Cima de Toda a Folha (Prémio Nacional de Poesia [Moçambique] em 1991) e A Filha de Tandy (1991).
Poemas seus, com traduções em várias línguas, constam de antologias e estudos publicados em Moçambique, Portugal e Itália; está incluído no CD Mãos Dadas (uma recolha de língua portuguesa), editado no Brasil.

"Dizem que os poetas sabem, sentindo. Distinguem-se dos homens da ciência porque estes estão credenciados por um saber contabilizável. Mas não há fronteira entre sentir e raciocinar. Persiste em todo o acto de sabedoria um diálogo secreto entre coisas e seres. A poesia de Heliodoro Baptista é mostra desse diálogo de intimidade: olhos agrestes escrevendo na poeira «a morte do poema para salvar a poesia». Palavras dele, estas. Mais que palavras, a sua vida é uma batalha pela redenção da palavra.
Heliodoro vive em estado de poesia.
Ele sabe a luz da palavra."
Mia Couto

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial